Aprendizados com a crise Maurício Souza

Reprodução/Créditos: instagram/mauriciosouza17

Quem trabalha com gerenciamento de crises está acompanhando a demissão do jogador de vôlei Maurício Souza, do Minas Tênis Clube, em 27 de outubro, por ter feito uma postagem considerada homofóbica sobre o anúncio da bissexualidade do atual Superman. Quais são os aprendizados? Consideremos o jogador Maurício Souza, melhor bloqueador da Liga das Nações de Voleibol Masculino de 2021, uma marca. Passar por momentos de crise é algo inevitável para qualquer empresa. No mundo on-line um acontecimento como este gera um buzz indesejável.
Muitas crises são causadas por elementos externos às marcas. Não foi o caso. Uma dica básica é manter a sua empresa longe de assuntos polêmicos. O esportista Maurício Souza tem que falar sobre levantar, cortar, aces, saques e bloqueios. Opiniões que não envolvam o seu negócio diretamente e não acrescentem nada à sua marca devem ser evitadas a todo custo.
Toda ação gera reação em igual intensidade e sentido oposto. Aprendemos isso no colégio. Se a opinião pessoal dele se mantivesse restrita à sua família e amigos próximos, não teria atiçado ativistas da causa LGBTQIA + . Este ato transformou-se em político, esquerda x direita, que já o convida para se candidatar nas próximas eleições. Para que?
Temos direito de comentar o que quisermos, mas para que polarizarmos se o nosso trabalho é outro? O jogador está precisando de uma consultoria para ajudá-lo a organizar suas mensagens-chave, de onde veio e para onde deseja ir. Vai querer jogar vôlei em algum lugar do mundo? Vai ter que aprender a conviver com a diversidade e a tolerância. Tudo neste momento sensível tem que ser feito com muito cuidado e verdade para não parecer que quer fazer deste limão uma limonada.

Vai lançar sua candidatura? Por qual partido? Um passo errado intensifica a crise com seus públicos de interesse. Precisa listar os diferentes grupos com os quais ele tem que conversar e fechar os posicionamentos para unificar as mensagens e construir uma comunicação assertiva. Não estamos falando só sobre ganhos e perdas de seguidores e sim sobre reputação e negócios. As redes sociais funcionam como ótimos termômetros, mas o buraco é mais embaixo. O problema já ocorreu, o que passou, passou. O jogador, entretanto, tem um futuro pela frente. Acompanhemos porque custa bem menos aprender com os erros dos outros do que com os nossos.

Reprodução/Créditos: instagram/mauriciosouza17

Rebranding do Facebook: mudanças e os seus motivos

A mudança do nome da empresa Facebook Inc. para Meta anunciada por Marc Zuckerberg causou grandes controvérsias. Por um lado, internautas desconfiam que essa mudança se trata de uma tentativa da empresa de afastar-se dos escândalos que recentemente ocuparam as notícias. Por outro, o rebranding significa o surgimento de uma versão inovadora da internet, expandindo a compreensão atual do virtual.
Em meio a essa reação dual que emergiu nas redes, é necessária compreensão do que, de fato, se trata do ‘metaverso’, conceito que inspirou a nova marca corporativa ‘Meta’. Quais as implicações dessas mudanças, tanto para os usuários quanto para a empresa e, também, as polêmicas que envolveram o Facebook, das quais Zuckerberg tenta afastar-se?
O poderoso acredita que o metaverso será o sucessor da internet móvel. “Seremos capazes de nos sentirmos presentes - como se estivéssemos bem ao lado das pessoas, não importando o quão distantes estivermos na realidade”, comentou; Investindo em uma série de tecnologias de realidade aumentada e realidade virtual, como o Oculus VR headsets, essa nova fase do Facebook pretende sobrepor os mundos digital e real.
Para os usuários, o ‘metaverso’ permitiria que representações digitais de pessoas - os avatares - interajam, simulando o cotidiano fora do virtual, frequentando o trabalho, shows e até mesmo experimentando roupas. A Facebook Inc. já apresentou uma versão do ‘metaverso’, chamado Horizon Workrooms, um aplicativo que viabilizaria os usuários do Oculus VR a frequentarem reuniões virtuais em ambientes completamente digitais. O jornal on-line The Guardian faz uma comparação do ‘metaverso’ pretendido pelo conglomerado Meta com o aplicativo Pokémon Go, muito popular entre os jovens na década passada. Nele, o jogador conseguia, por meio de uma realidade virtual, localizar o personagem do desenho animado nas ruas físicas sem, obviamente, a criatura estar lá. A mesma ideia aplicar-se-ia para essa nova realidade tecnológica, a possibilidade de interagir com quem não está, fisicamente, lá.
Para a empresa, esse rebranding configura uma oportunidade de expandir os terrenos de investimento e domínio, já gigantescos, assim como distanciar-se dos recentes acontecimentos envolvendo as políticas de privacidade e de responsabilidade com os utilizadores das redes sob a antiga Facebook Inc., com ênfase no Instagram. É importante ressaltar que, ao contrário do que muitos imaginaram ao ouvir a notícia, a rede social permanecerá chamada Facebook, renomeado será o conglomerado que a detém junto com Instagram e WhatsApp, entre outras.
As polêmicas que envolveram essas mídias incluem acusações de omissão da empresa quanto aos relatos dos funcionários sobre os algoritmos do Facebook facilitarem disseminação de fake news, caso que ficou conhecido como Facebook papers, assim como relatos de uma ex-funcionária que enfatizam a toxicidade do Instagram para os jovens. Quem viver, verá. De acordo com dados divulgados pela Revista Forbes, a companhia teve um aumento de 17% em lucro líquido e de 35% em receitas, ilustrando um relativo sucesso na revitalização da reputação da marca. Começou bem a gerenciar a crise de má publicidade, inquéritos no Congresso, processos regulatórios, cansaço de anunciantes e agências, entretanto nem tudo é lucro. Os usuários querem segurança. Acompanhemos.

Maior expedição científica do Brasil começa domingo, no Rio São Francisco

Foto da terceira edição da Expedição no Rio São Francisco

 

A maior expedição científica do Brasil acontecerá de 31 de outubro a 10 de novembro no Rio São Francisco, um dos rios mais importantes do país, que nasce em Minas Gerais e passa por 507 municípios em seis estados brasileiros. 

A 4ª edição da Expedição Científica, coordenada por Emerson Soares, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), terá como tema “Consolidando a Ciência em ações ambientais no Baixo São Francisco” e visa comparar os dados coletados nesta edição com os resultados das expedições anteriores, que apontaram graves problemas ambientais como comprometimento nos ecossistemas aquáticos, terrestres e de populações humanas. O ponto de partida será o município ribeirinho alagoano de Piranhas.

A edição de 2021 contará com 66 pesquisadores e uma produtora premiada internacionalmente que realizará um documentário, a Aventuras Produções, de Vera e Yuri Sanada, único Fellow Member brasileiro do Explorers Club. A esquipe estará a bordo de dois barcos laboratórios, cinco lanchas e um catamarã de apoio. Um avião não tripulável fará o mapeamento de toda a região do Baixo São Francisco, que será estudada por meio de pesquisas em 35 áreas. O trajeto aquático e terrestre, alvos de pesquisa e de intervenções junto às comunidades ribeirinhas, contemplam as cidades de Pão de Açúcar, Traipu, São Brás, Igreja Nova, Penedo e Piaçabuçu, em Alagoas, Propriá e Brejo Grande, em Sergipe.

A interação dos pesquisadores com comunidades escolares ribeirinhas é um dos pontos altos da expedição. “Este ano teremos a instalação de cinco modelos demonstrativos de fossas sépticas biodigestoras com reuso de água para plantios, além de doação de equipamentos como projetor multimídia (datashow), notebooks e caixas de som para escolas e de 400 kits de material escolar”, antecipa o coordenador. Soares revela, ainda, que também estão na programação da edição 2021 a doação de mini tratores a associações rurais, assim como  a realização de exames de pele e 450 testes RT-PCR, de Covid 19, nestas comunidades. Uma ação bucal, a exemplo da edição de 2020, será feita junto aos estudantes das escolas ribeirinhas.

“A expedição científica proporciona ações sociais de inclusão da população ribeirinha e do pescador, além da valorização da política agroecológica e da educação ambiental, por meio de um rico e amplo material científico, atraindo os olhares do poder público para a região do Baixo São Francisco”, acrescenta o coordenador, com esperanças de, assim, reverter o empobrecimento de espécies e da biodiversidade. Estes trabalhos são realizados pelas seguintes entidades: Universidade Federal de Alagoas- UFAL, Comitê de Bacia Hidrográfica do São Francisco – CBHSF, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas- FAPEAL, EMBRAPA- Tabuleiros Costeiros, CODEVASF- 5SR, Universidade Federal de Sergipe – UFS, EMATER-AL, Universidade Federal da Paraíba- UFPB, Universidade Federal de Rondônia- UNIR, Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas - SEMARH-AL, Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE, Instituto de Pesquisa Renato Archer, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação-MCTI, Marinha do Brasil e Instituto Federal do Ceará – IFCE, Pedreira Triunfo, Agência Peixe Vivo e FUNDEPES.

 

 Mais informações para imprensa através dos WhatsApps (21) 98104-9636/ (82) 98832-7163.



Impactação Social é acelerado pela Gerando Falcões neste semestre

Mentorando e sendo mentorados... Muito aprendizado nestes tempos de gerenciamento de informações e escolha de tantos caminhos que estamos vivendo… Outro dia o grande Sérgio Bocayuva, meu amigo de colégio, doou-me duas horas e meia da sua agenda ocupadíssima para falar sobre gestão e estratégia. A experiência dele é gigantesca como CEO, diretor e gestor na elaboração e implantação de projetos multifuncionais viabilizando o crescimento sustentado de empresas em diferentes segmentos. Em 2016, por exemplo, juntamente ao Private Equity Axxon Group, adquiriu 69,76% da USAFLEX, empresa líder no setor de calçados femininos de conforto no Brasil, com o desafio de acelerar o crescimento da operação ampliando o share no mercado de multimarcas no Brasil e exterior. E este é apenas um de seus cases. Quero levar muito do que absorvi desta conversa e meus aprendizados de uma vida inteira para Gilberto Rodrilla, meu mentorado na Falcons University e cofundador, junto à sua esposa Juliana Paula Castro Camargo, do Projeto Impactação Social, de Osasco, São Paulo, acelerado pela Rede Gerando Falcões, um “ecossistema de desenvolvimento social”, idealizado pelo empreendedor social Edu Lyra.
A Gerando Falcões comanda ações em áreas de vulnerabilidade socioeconômica, a fim de combater a pobreza por meio da disseminação de educação e tecnologias. Com este propósito, visando criar a maior rede de projetos sociais do mundo, tem recebido apoio de alguns dos maiores empresários do país. Lyra passou sua infância num barraco em uma favela em Guarulhos, São Paulo. Cresceu visitando seu pai no presídio, mas, também, ouvindo sua mãe dizer: "filho, não importa de onde você vem, mas pra onde você vai", lembra o selecionado pelo Fórum Econômico Mundial como um dos jovens brasileiros que podem mudar o mundo, fazendo parte do Global Shapers. A Forbes Brasil o qualificou entre os jovens com menos de 30 anos mais influentes do Brasil.
Com grande enfoque no desenvolvimento de tecnologias viáveis, cuja principal finalidade é a possibilidade de aplicá-las em grande escala, a rede oferece suporte financeiro e administrativo para mais de 70 ONGs de todo Brasil. O apoio baseia-se em seis pilares centrais: habilidades socioemocionais, expertise de favela e do setor privado, políticas públicas, tecnologia e inovação.
A Falcons University é responsável pela metodologia de ensino da organização. Já são 190 líderes formados e que estão colocando a pobreza no museu em mais de 720 favelas de 19 estados brasileiros. Até 2023, serão 1.002 formados, impactando cerca de 2.990 favelas do país. O Projeto Impactação Social, selecionado para ser uma das Unidades Aceleradas neste segundo semestre, visa resgatar a dignidade humana, oferecendo auxílio prático para 350 famílias em estado de vulnerabilidade social nas comunidades Nova Bonança e Primeiro de Maio. “Transformamos o inconformismo em ação e, por meio de medidas emergenciais, como a entrega da cesta básica e absorventes, nossa equipe de voluntários acessa as comunidades para conhecer as suas dores e traçar estratégias para futuras ações de impacto e geração de renda”, afirma Rodrilla sobre o seu projeto.
O Impactação Social atua ao lado e com o apoio da Rede Gerando Falcões, a fim de combater a pobreza e injustiça social. Abraçando causas como a doação de sangue, a pobreza menstrual, em parceria com a SOS Absorvente e a entrega de refeições para pessoas em situação de rua, em parceria com o Instituto Mesa Solidária, o Impactação Social faz a diferença na vida de pessoas em situação de vulnerabilidade. Além disso, zela pelos animais de estimação das famílias assistidas, arrecadando ração e distribuindo-a para mais de 170 gatos e 105 cachorros.
Gostou? Tenha orgulho você também, assim como eu, de participar desta história! Para ajudar o projeto cofundado por Gilberto Rodrilla, doe cestas básicas, a partir do Site Real Cestas, no valor de R$ 85,00. Clique Impactação Social – Real Cestas e doe agora mesmo!!!

Parceria entre marcas e sociedade civil doa mil kits de absorventes na Maré

A ONG Absorvendo Amor, a Inciclo, empresa produtora de absorventes reutilizáveis fundada pela obstetriz Mariana Betioli, a marca de roupas Cantão e o Núcleo Meninas do Brasil, do Grupo Mulheres do Brasil Rio de Janeiro, realizaram uma campanha muito bacana, que culminou com a entrega de 1000 absorventes reutilizáveis em um evento no Complexo da Maré, no dia 18 de setembro. Estas questões femininas passaram a ser uma das causas da Shopping de Comunicação desde 2016, quando trabalhamos para a cientista política, professora, socióloga e ambientalista Aspásia Camargo. “Fiz doutorado na Sorbonne, na década de 60, sempre achei que mulheres eram iguais aos homens e agora, mais de 50 anos depois, entro em todas as lutas de mulheres porque não somos iguais. As oportunidades em pleno século XXI ainda são completamente diferentes”, ensinou a cliente. Logo em seguida deste trabalho, em 2017, a fundadora do Grupo Mulheres do Brasil, Luiza Helena Trajano, deu início ao núcleo Rio de Janeiro e nossa líder, Malu Fernandes, logo se engajou na liderança da Comunicação.

De lá para cá houve diversos momentos: passeata de combate à violência contra a mulher, no Aterro do Flamengo, reunião sobre este tema na casa da líder do núcleo à época, Michele Pin, palestras, encontros presenciais e online, ida à Mangueira com a líder Célia Domingues, limpeza da Sapucaí na abertura do Carnaval e, neste ano, o Movimento Unidos Pela Vacina, entre outros. O Rio de Janeiro foi o primeiro estado a ter todos os municípios amadrinhados por alguma empresa.

Na campanha liderada pelas quatro organizações, ao comprar qualquer peça online, os clientes do Cantão doaram os kits da Inciclo (2 diurnos e 1 noturno). A jornalista Anna Maria Ramalho achou relevante noticiar a ação em sua coluna. Confira a notícia no link: Empresas, ongs e consumidores se engajam para ajudar meninas em vulnerabilidade menstrual | Portal Anna Ramalho

O problema da desigualdade menstrual é “uma questão de saúde pública, afinal pode originar danos psicológicos ou físicos para as mulheres”, explica Célia Regina Carvalhal, psicóloga e a líder do Comitê de Saúde do Grupo Mulheres do Brasil Rio de Janeiro em conversa com Tatiana Giglio, coordenadora de comunicação da loja Cantão. Foi por meio dessa conversa que a coordenadora conheceu o projeto Absorvendo Amor.

Desde 2018, a Absorvendo Amor, liderada pela estudante Constanza del Posso, de 17 anos, à frente das Meninas do Brasil, disponibiliza produtos de higiene íntima de qualidade para alunas das escolas públicas do Rio de Janeiro e de São Paulo. A ONG objetiva garantir que meninas em estado de vulnerabilidade tenham acesso a absorventes e promover a conversa sobre o grande problema que a desigualdade menstrual representa, assim como quebrar o tabu existente em relação à menstruação.

O site da ONG expõe dados impressionantes que retratam essa situação: segundo uma pesquisa realizada pela marca de absorventes Sempre Livre, 26% das entrevistadas na faixa dos 15 aos 17 anos afirmaram não ter acesso aos itens de higiene relacionados à menstruação, ilustrando esse cenário sanitário catastrófico. Além disso, em pesquisa encomendada pela marca Always e realizada pela Toluna, 37% das mulheres entrevistadas afirmaram ter vergonha da sua menstruação. Absorvendo Amor já impactou mais de 8, 5 mil mulheres, doou mais de 140 mil absorventes, além de, apenas no período da pandemia, ter arrecadado R$ 37 mil.

O Grupo Mulheres do Brasil foi criado em 2013 e hoje reúne 90 mil mulheres em todos os estados brasileiros, com 177 núcleos no Brasil e 39 no exterior, com o intuito de engajar a sociedade civil na conquista de melhorias para as mulheres.

Mais Vívida entra na campanha “Velhice não é doença”

É um absurdo a OMS (Organização Mundial de Saúde) querer transformar velhice em doença! E é muito bacana estarmos dentro destes ecossistemas e trabalharmos para as empresas com o que mais gostamos de fazer, conexão com stakeholders e engajamento em causas. A Mais Vívida faz live hoje às 18h, em seu Instagram (@mais_vivida), com o jornalista Mauro Wainstock, colunista da Exame, sócio do HUB 40+ e Linked In TOP VOICE, com quem conectamos a startup. Sabe qual será o assunto? Linked In para os 60+!!! Siiim, Linked In para os 60+. A Mais Vívida é uma plataforma que faz o match entre jovens e 60+ para compartilhamento de conhecimentos de tecnologia foi acelerada pela Igloo, Samsung Ocean e Yunus Negócios Sociais, recebeu o prêmio de TOP 10 Promissoras pelo Aging 2.0, foi eleita uma das startups para serem observadas pelo TOP VOICE do LinkedIn Gustavo Caetano e acaba de receber investimento da Bossa Nova Investimentos, o maior fundo de microventure capital da América Latina, através do qual sou investidora na empresa.

A série de 10 lives, iniciada ontem com o membro da Academia Brasileira de Medicina e gerontólogo Alexandre Kalache, abordará temas que envolvem saúde, empreendedorismo, trabalho e lifestyle. Por que isso tudo? Porque a Nova Classificação Internacional de Doenças (CID) da Organização Mundial de Saúde (OMS) passará a incluir, a partir de janeiro de 2022, a “velhice” entre os problemas de saúde. A CID11, que traz o código MG2A, irá diagnosticar “velhice” e substituir “senilidade”, termo utilizado atualmente, ou seja, “velhice” passa a ser considerada oficialmente uma doença.

Esta tomada de decisão está sendo alvo de críticas – com toda razão. Em 2015, a Convenção Interamericana Sobre a Proteção Dos Direitos Humanos dos Idosos determinou o envelhecimento como o “processo gradual que se desenvolve durante o curso de vida e que implica alterações biológicas, fisiológicas, psicossociais e funcionais de várias consequências, as quais se associam com interações dinâmicas e permanentes entre o sujeito e seu meio”.

Esta mudança é um retrocesso gigante nos direitos humanos dos idosos, que já sofrem com um estigma imposto pela sociedade. Além desta alteração na CID poder contribuir com o preconceito contra idosos, esta decisão poderá desenfrear uma série de dificuldades no mundo inteiro. No Brasil, a idade para ser considerado “velho” é a partir dos 60 anos e, na Itália, por exemplo, é definido como idosa a pessoa a partir dos 75 anos. Um ponto importante é que as mortes de pacientes acima dos 60 anos será tratada com o CID “velhice”. Isso resultaria em um atraso enorme nos dados epidemiológicos, trazendo perda de informações extremamente relevantes que ajudam a identificar e tratar doenças associadas ao envelhecimento.

O envelhecimento não é algo generalizado, não existe uma única velhice. A CID11, de forma indireta, contribui para o que chamamos de “Ageismo” e se mostra na contramão em uma sociedade que busca promover uma longevidade ativa e saudável. Existem idosos que estão impactados por doenças sim, mas há aqueles que vivem de forma independente, os que trabalham e os que estão começando agora a realizar seus sonhos!

Site das Lojas Renner volta ao ar após 48 horas

O site oficial da Lojas Renner ficou indisponível por 48h desde a tarde de 19 de agosto, devido a um ataque de sequestro digital através de uma infecção com ransomware, um tipo de malware que restringe o acesso ao sistema infectado com uma espécie de bloqueio e cobra um resgate em criptomoedas para que o acesso possa ser restabelecido. Este “vírus sequestrador” age de forma codificada, lendo os dados do sistema operacional de forma com que o usuário não consiga mais acessá-lo.
A empresa negou pagar o resgate no valor de US$ 1 bilhão para liberação do site, cerca de R$ 5,4 milhões de reais. Ainda não há confirmação de qual ransomware foi usado, mas especialistas apontam que pode se tratar do Defray777, que se baseia em linhas de código do Linux para enumerar e criptografar pastas. A empresa foi rápida na divulgação de uma resposta. “Neste momento, a Companhia atua de forma diligente e com foco para mitigar os efeitos causados, com a maior parte das operações já reestabelecidas e tendo sido verificado que os principais bancos de dados permanecem preservados. Cabe ressaltar que em nenhum momento as lojas físicas tiveram suas atividades interrompidas. A Companhia ressalta ainda que faz uso de tecnologias e padrões rígidos de segurança, e continuará aprimorando sua infraestrutura para incorporar cada vez mais protocolos de proteção de dados e sistemas.” Esta é uma das primeiras técnicas de gerenciamento de crises, uma das áreas em que atuamos na Shopping de Comunicação.
Por maior e melhor que seja uma empresa, é impossível que não aconteça algum momento de tensão. Porém, em alguns casos – inclusive este – a turbulência é imprevisível, por isso, estar preparado é fundamental para evitar comprometimentos na imagem da organização.
A Renner não se pronunciou em suas redes sociais sobre o ataque cibernético, apenas uma mensagem em seu site oficial dizendo que está com uma indisponibilidade no sistema e que está trabalhando para voltar ao normal. Acompanharemos o caso porque sempre há aprendizados que podem ser úteis em treinamentos aos clientes. O assunto foi notícia em todos os principais veículos de mídia brasileiros: UOL, G1, Zero Hora, Exame e Estadão, entre outros.
Estratégia, relacionamento com a imprensa, monitoramento de mídias sociais e clipping são essenciais para um bom gerenciamento de crise. Não se trata de zerar problemas e sim de minimizar o impacto da crise.

Cia Deborah Colker impacta 40 milhões de pessoas

Este foi um ano difícil devido à pior crise financeira do Brasil mas muitas empresas avançaram. Entretanto, o resultado do trabalho da Companhia de Dança Deborah Colker foi impressionante. O tour de Cão Sem Plumas por duas cidades dos Estados Unidos – Washington e Pittsburgh – obteve inserções em impressos e veículos de internet, com destaque para s matéria publicada no Washington Post, um dos mais importantes do mundo. Quase 40 milhões de pessoas foram impactadas com tantas matérias no Brasil e no exterior além de anúncios e redes sociais. Cobertura 100% positiva com patrocínio da Petrobras. Há mais de cinco anos fazemos estas mensurações para eles. #VamboraBrasi

A Swiss company launches the worldwide platform for lawyers, the new venture debuts in Brazil

I love working for start up companies because I use all I have studied: Media, Marketing, Business, PR and Law and I love when I find young entrepreneurs full of energy and ideias forecasting business opportunities in Brazil. The responsibility is big because the client came indicated by one of the country largest companies'Director. The innovation is that Tech Vanguard Sarl launches roundlaw, a different worldwide directory of lawyers covering 70 countries. Brazil will be the first to join the platform, where only five lawyers per legal specialty for each city will be selected for admission to the directory with strict and objective qualifying criteria. The concept behind roundlaw originated when a 24 years old digital entrepreneur Elizaveta Uvarova was looking for a corporate lawyer in order to get legal advice and was unable to do so given exiting directory tools. “There are over 240,000 lawyers in São Paulo alone, and it was even harder because every one of them was telling me they were the best in the city,” Uvarova jokes. “How was I supposed to choose?” The concept of carefully selecting a few from a wide collection of possibilities has been applied to online marketplaces to such great success that it has now redefined the way consumers interact not only with technology but with the products or services they are seeking. Uvarova applied this concept to lawyer services selection to solve her problem and the result was Roundlaw. Roundlaw is the world’s first and most exclusive directory of verified lawyers. Roundlaw introduces a new concept in directory services. Unlike other directories that list countless entries under multiples of legal categories, Roundlaw will list a maximum number of 5 Lawyers per legal specialty per city based on the objective criteria. Uvarova has set the maximum number of entries under each legal proficiency in each city to 5, as she insists, this is enough to chose from, if the entrants are pre verified. To be included in the directory lawyers need to submit an application form to roundlaw that will need to include details of their proficiency (such as for example documentary evidence of degrees, certifications, or publications that the applicant has authored). The application will be reviewed and verified by a team of lawyers who will check details and verify proficiency claims. Only after passing through this selection process and provided they are one of the first five to submit an application that adheres to the standards set out by roundlaw, will entries be included in the directory. Roundlaw began accepting submissions for entry to the Brazil directory on the 19th April. Lawyers are encouraged to visit the site, download and prepare the form and be ready to mark their territory by submitting their application form. There is a real race in the application process, as once verified, all things being equal, applicants who submitted first will be selected over others. Roundlaw is startup created by Tech Vanguard in partnership with a team of Swiss lawyers in order to provide the most simple and innovative way of searching for legal services. Roundlaw is a concept directory and no other like it exists in the world. It provides users a verified curated selection of lawyers worldwide. It is extremely exclusive considering that for example, it provides a listed divorce lawyer in San Paolo the privileged opportunity to be one of just 5 listed divorce lawyers in that city. “Mark your territory as soon as the hour strikes in Brazil!” an advice from the Founder.

Bastidores de um primeiro contato comercial

Recebi um contato que nem responderia com tanto pensamento positivo se não estivesse pensando na recolocação de tantos amigos e em ajudá-los a ver a quantidade infinita de possibilidades que existem aqui fora. 
  
- "Gostaria de saber se vocês atuam com AI no segmento xxx. Pretendo mudar a atual AI visando nova forma de trabalhar", enviou por email.
- "Fulano, grata pelo contato. Podemos conversar no dia 17 ou 18?", respondi 15 minutos depois. 
 
- "Obrigado pelo rápido retorno. Gostaria de receber, via e-mail, uma proposta para prestação de serviço de AI visando a divulgação de xxx", explicou.  E aí detalhou um pouco...
 
 
- "Não necessitamos de serviços de gestão de mídia social, de RP, gestão de crise ou criação, pois o foco da atividade incumbida a AI é a divulgação de xxx. Contudo o fornecimento de clipping é vital para mensuração dos serviços. Se possível, enviar proposta até o final da presente semana pois a intenção é contratar no mês de Outubro", adicionou.
 
- "Só mandamos proposta após uma reunião presencial ou por skype/ whattsapp para análise das reais necessidades e dimensionamento do trabalho. Estamos à disposição. Certa de sua compreensão, atenciosamente".
Conclusão: já estamos agendando e o amigo que está na entressafra irá comigo. Começo junto e depois ele vai sozinho, vai com Deus e eu só ajudando no coaching, se ele precisar, porque me identifico mais com a área empresarial e em que eu possa usar tudo o que estudei de Imprensa, Marketing, Administração, Comunicação Empresarial e Direito. VQV, se todos que puderem participarem desta economia colaborativa, daqui a pouco todos os amigos feras estarão com trabalhos de novo. Esta é a era da trababilidade. 

Mais Artigos...

  • Seis livros escritos para clientes.
  • Mensuração de resultados em Marketing: Esplendores do Vaticano, O Mágico de Oz, Tudo por Um Por Star, Kirov, O Rei Leão, Débora Colker, Barbaridade e vários outros.
  • Mais de 130 juízes eleitorais treinados.
  • Cristo redentor é eleito uma maravilha do mundo moderno com 800 mil votos, o terceiro mais votado.
  • A Árvore de Natal da Bradesco Seguros, a maior árvore de Natal flutuante do mundo, passa a ser notícia no mundo.