Administração Pública Federal expulsa 394 servidores


Depois de Jornalismo, Marketing, Administração e Comunicação Empresarial, agora estudo Direito. Ao invés de Química, Física e muitas matérias no ensino médio e fundamental, acho que deveríamos incluir Direito para conhecermos melhor a Constituição, o Código Civil, Penal e outras leis para gerenciarmos melhor nossa vida pessoal e trabalho. Estudando aqui para a prova de Direito Administrativo, que ocorrerá na terça, eis que me deparo com uma informação interessante compartilhada pelo professor, coordenador do Curso de Direito da Cândido Mendes do Centro, doutor pela PUC e procurador da AGU, Farlei Riccio. "Em 2011, a administração pública federal aplicou 564 punições administrativas expulsivas do serviço público. Foram 469 demissões, 38 cassações de aposentadoria e 57 destituições. Até setembro de 2012, foram mais 394 expulsões. Desde 2003, quando a Controladoria Geral da União (CGU) começou a registrar os dados, foram aplicadas 3.927 penalidades máximas. De acordo com o relatório da CGU, entre 2003 e 2011, quase 32% das punições foram aplicadas por uso indevido do cargo público e 19% por improbidade administrativa. Abandono de cargo (falta injustificada por mais de 30 dias consecutivos) motivou 8,6% das expulsões, seguido de recebimento de propina (5,5%) e desídia (4,8%), que é desleixo, negligência ou descaso com o trabalho. Os outros 30% saíram por motivos variados, como acumulação ilegal de cargos, aplicação irregular de dinheiro público e dilapidação de patrimônio."
  • A Árvore de Natal da Bradesco Seguros, a maior árvore de Natal flutuante do mundo, passa a ser notícia no mundo.
  • Mais de 130 juízes eleitorais treinados.
  • Cristo redentor é eleito uma maravilha do mundo moderno com 800 mil votos, o terceiro mais votado.
  • Mensuração de resultados em Marketing: Esplendores do Vaticano, O Mágico de Oz, Tudo por Um Por Star, Kirov, O Rei Leão, Débora Colker, Barbaridade e vários outros.
  • Seis livros escritos para clientes.