Descomplicando a vida...

Nesta semana participei de duas palestras bem interessantes na Universidade Cândido Mendes. Duas boas notícias: a juiza Andréa Pachá, que não via há mais de 20 anos, falou muito bem na simulação de uma audiência sobre um caso de seu livro “A Vida não é Justa” e mostrou com clareza como tem simplificado a linguagem judicial para que seja mais bem compreendida por toda sociedade. Antes da do Ministro do STF Luiz Fux eu chorei. Sempre choro com o Hino Nacional. Ele também abordou a necessidade de informar mais a população sobre o Direito. A palestra era para antecipar o que deverá ser o novo Código de Processo Civil. "O novo renascer do Direito no Brasil", segundo ele, privilegiará mediação, conciliação e ações coletivas e reduzirá à metade o tempo de duração das ações nos tribunais. É aquela história: se me perguntassem o que eu faria se tivesse a minha experiência e 20 anos a menos,  roubaria as palavras de um ex-presidente da Intel e diria que me preocuparia menos em ver em onde vou chegar e mais em ver se estou no caminho. O caminho neste caso é só de ida: justiça acessível a todos no menor tempo possível com decisões compreensíveis por todos nós brasileiros e que representem os anseios da sociedade que queremos construir.

  • Mais de 130 juízes eleitorais treinados.
  • Mensuração de resultados em Marketing: Esplendores do Vaticano, O Mágico de Oz, Tudo por Um Por Star, Kirov, O Rei Leão, Débora Colker, Barbaridade e vários outros.
  • Cristo redentor é eleito uma maravilha do mundo moderno com 800 mil votos, o terceiro mais votado.
  • Seis livros escritos para clientes.
  • A Árvore de Natal da Bradesco Seguros, a maior árvore de Natal flutuante do mundo, passa a ser notícia no mundo.