Barcelona quebra as barreiras sociais

O Vidor comenta hoje em O Globo que, com o crescimento razoável da economia brasileira, nossas regiões metropolitanas começam a se estruturar para o desenvolvimento sustentável. Não conheço Medelín (Colombia), mas há dois anos estive em Barcelona pela terceira vez, e ele comenta que a cidade espanhola optou por um modelo, que foge da tendência de se dividir em centros financeiros, bairros temáticos, refúgios étnicos ou barreiras sociais. Onde só havia ricos, eles trataram de criar espaços para famílias remediadas. Participei de um seminário na London School of Economics com um palestrante americano contando uma experiência para a audiência inglesa sobre como diminuir a criminalidade, aumentar o nível de escolaridade e a inclusão social. A conclusão é que nos dois países desenvolvidos as realidades dos temas são bem distintas, mas o aprendizado é que, num prazo de 20 anos, melhoraram bastante os três índices estudados. Onde só havia pessoas comuns surgem espaços nobres integrando os que já moravam por lá. Fica a idéia para ser debatida aqui.

  • Seis livros escritos para clientes.
  • A Árvore de Natal da Bradesco Seguros, a maior árvore de Natal flutuante do mundo, passa a ser notícia no mundo.
  • Cristo redentor é eleito uma maravilha do mundo moderno com 800 mil votos, o terceiro mais votado.
  • Mensuração de resultados em Marketing: Esplendores do Vaticano, O Mágico de Oz, Tudo por Um Por Star, Kirov, O Rei Leão, Débora Colker, Barbaridade e vários outros.
  • Mais de 130 juízes eleitorais treinados.